Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email

O que o Descarte Inadequado de Efluentes pode Causar?

O ato de descartar efluentes de forma inadequada pode acarretar terríveis consequências ao meio ambiente e à saúde pública.

Ocorre que, somente em momentos de crise hídrica, é que o poder público e a mídia se preocupam com a importância da economia de água como mecanismo para evitar o racionamento hídrico.

O que pouco se fala, é que não é o abastecimento humano o maior consumidor de água potável do nosso país. O maior consumidor de água é a agricultura, seguido pelo setor industrial.

Segundo dados da ANA – Agencia Nacional de Águas, no que se refere aos indicadores de uso de água na indústria, os setores de fabricação de alimentos; bebidas; papel, celulose e produtos de papel; metalurgia; produtos químicos e biocombustíveis são responsáveis por 85% da retirada de água e por 90% do consumo do recurso pela indústria da transformação. Em um recorte ainda mais detalhado, temos a porcentagem por setor industrial: alimentos e bebidas (21%), derivados de petróleo e biocombustíveis (11%), químicos (10%), veículos automotores (9%) e metalurgia (6%).

O mesmo estudo apontou um crescimento expressivo da demanda hídrica industrial nos últimos anos, acompanhando a conjuntura econômica do País. As vazões de retirada estimadas em 2013, pico do período analisado com 207,1 m³/s, foram 70% superiores às vazões de 2002. A queda na atividade industrial brasileira em 2014 e 2015, porém, foi refletida na redução da demanda hídrica, quando as vazões de retirada totais foram de 192,41 m³/s, queda de 7,1% em relação ao ano de 2013. A vazão consumida foi estimada em 104,92 m³/s, equivalente a aproximadamente 55% do total retirado. As maiores demandas estão em São Paulo (59,71 m³/s), Minas Gerais (17,95 m³/s), Paraná (16,45 m³/s).

A grande questão, não é o alto consumo, mas sim pelo fato que grande parte da água que é utilizada por estas indústrias não retorna para o meio ambiente de forma adequada, ou seja, limpa após tratamento.

O que a falta de tratamento dos efluentes industriais pode causar em um primeiro momento?

Em momentos de crises hídricas este fato vem ainda mais à tona, levando em consideração que o descarte inadequado de efluentes realizado pelas indústrias, obrigam que as concessionárias de saneamento realizem a captação de água em locais cada vez mais distantes, tornando os custos para a população ainda maiores.

De acordo com um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a cada hora somente em São Paulo, pelo menos 100 milhões de efluentes compostos de resíduos tóxicos, são despejados em rios e lagos sem que ocorra o menor tratamento. Entre as substâncias encontradas nestes efluentes estão, manganês, alumínio e ferro. O que explica o número assustador divulgado pela Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental), que diz que 52% das águas monitoradas são contaminadas.

O que o descarte inadequado de efluentes pode causar ao meio ambiente?

Todo o descarte inadequado e desenfreado de qualquer tipo de efluente não tratado, causa terrível impacto aos mananciais, a todo meio ambiente e também a população. Além disso, os gastos públicos com a reversão desta situação se tornam cada vez mais elevados.

A ONU realizou um estudo que mostrou que em toda esta situação, os mais prejudicados são as pessoas que se encontram nas faixas de maior pobreza, que em grande número estão em contato com os mananciais poluídos.

No caso especifico de efluentes industriais, encontramos substâncias extremamente nocivas aos micro-organismos, plantas e animais, o que torna a água imprópria para qualquer tipo de uso. Essas substâncias podem se manter na superfície das águas, como também podem se manter no fundo dos rios, lagos ou mares, de maneira que mantenham-se inalteradas, impactando o equilíbrio do ecossistema aquático.

Para os seres humanos, também existe um grande impacto, já que ao ingerir ou apenas entrar em contato com este tipo de água contaminada podem se expor a toda sorte de doenças.

É preciso que os processos de tratamento, sejam realizados seguindo as normas da legislação ambiental, sendo assim uma empresa especializado no setor estará mais apta a ir de encontro com as normas, reduzindo os riscos de multa e penalizações severas. Existe uma proposta que vem causando debates, que a exigência de que empresas candidatas a financiamentos bancários, realizem o descarte de efluentes de forma correta. O objetivo, é fomentar a consciência dos empresários sobre as graves consequências dos atos irresponsáveis tanto para o meio ambiente, como para toda a população.

E sua empresa, já realiza o despejo de efluentes de forma consciente? Se não, até quando pretende ser responsável pela degradação ambiental e social? Saiba como se tornar uma empresa consciente com o Carlos Garcez.

Sempre que tivermos novidades, você receberá no seu email.

Deixe um comentário

Mais Artigos

Receba nosso conteúdo direto no seu email!

Siga me nas Redes Sociais